Escolha uma Página

Afinal, qual a diferença entre inglês americano e britânico?

Essa é uma dúvida que muitas pessoas que estão pesquisando cursos de inglês para começar a estudar o idioma possuem! 

O mais engraçado é que muita gente não faz nem ideia de que existe uma diferença até começar a pesquisar sobre o tema ou alguém perguntar a sua preferência entre o inglês americano e britânico. 

Entender as diferenças entre o inglês americano e britânico não serve apenas para definir qual o melhor curso para começar a estudar. 

Elas também serão úteis no caso de viagens, para você se virar bem tanto nos Estados Unidos quanto nos países do Reino Unido ou outros que falam o inglês britânico. 

Conforme você for evoluindo de nível, as diferenças ficarão mais claras e com certeza você começará a prestar atenção no inglês falado em alguns filmes e séries e também nas músicas, o que é bem bacana!

Por exemplo, se você é fã de Friends, está ouvindo o inglês americano. Agora, se você é um potterhead – um fã de Harry Potter -, com certeza está ouvindo o inglês britânico. Preste atenção e verá!

Mas fique tranquilo: vamos deixar tudo bem claro neste post e assim você entenderá porque é legal se decidir por um tipo de inglês e focar no aprendizado dele. Continue lendo!

Diferenças de sotaque e pronúncia: inglês americano e britânico

São essas algumas das maiores diferenças no quesito sotaque e pronúncia:

O som do “R”

Uma das maiores diferenças no sotaque do inglês americano e britânico é definitivamente o som do “R”.

No inglês americano, o som do “r” é geralmente pronunciado.

Já no inglês britânico, ele só é pronunciado antes das vogais, inclusive quando a vogal está no início da palavra seguinte, como em “bedroom”/ quarto, “red”/ vermelho, “mother of dragons”/mãe de dragões (Isso te lembra algum seriado? rs…)

Nos outros casos, ele é silencioso: “door”/ porta, “car”/ carro...

O som do “I”

Em inglês é muito comum que os sons (phonemas) não coincidam com as letras (grafemas), especialmente no caso das vogais.

A letra “i”, por exemplo, pode ser pronunciada como /i:/, /ai/, /i/, /ə/, etc. Depende da palavra.

Em “bite” pronunciamos /ai/ porque é uma palavra de apenas uma sílaba terminada com vogal silenciosa (não pronunciada). Em “bit” pronunciamos /i/ porque tem só uma vogal e termina em consoante.

A disposição das sílabas que recebem maior ou menos ênfase determinam em grande parte como as vogais são pronunciadas. E como essa ênfase pode mudar dependendo do falante, a pronúncia também muda.

Por exemplo, de forma geral, em inglês americano, “mobile” se pronuncia /ˈməʊ bəl/, enquanto em inglês britânico se pronuncia /ˈməʊ bɑɪl/.

Em inglês americano, director (diretor), é pronunciado /di’rectər/. Já no britânico, com som e “ai”, /dai’rectə/. Nos dois casos, a sílaba tônica (aquela que é a mais forte) não muda, mas sim a ênfase secundária (secondary stress).

A pronúncia do “T”

Existem pelo menos 4 pronúncias diferentes do “T” e a diferença principal está quando o “T” aparece entre vogais, como em “water”/ água. Nos demais casos, tende a ser igual tanto no inglês americano quanto no britânico. 

  • water /uórer/ (com” som de “flat/tap T”) no inglês americano;
  • water /uáta/ (com som de “t”) no inglês britânico.
  • better /bérer/ (com” som de “flat/tap T”) no inglês americano;
  • better /béta/ (com som de “T”) no inglês britânico.

Diferenças de grafia: inglês americano e britânico

No que diz respeito a forma de escrever as palavras, existe sim uma diferença entre o inglês americano e o britânico. 

Aqui vai uma lista das principais diferenças de grafias:

color (A) – colour (B) = cor
behavior (A) – bahaviour (B) = comportamento
flavor (A) – flavour (B) = sabor

Palavras em inglês britânico que terminam em “our” geralmente terminam apenas em “or” no americano. 

Outra diferença bem comum é com as palavras que terminam em “ER” no americano mas em “RE” no britânico. Por exemplo: 

center (A) – centre (B) = centro
meter (A) – metre (B) = metro
theater (A) – theatre (B) = teatro

Palavras que terminam com dois “l’s” no inglês americano e com um “l” no britânico: 

enroll (A) – enrol (B) = matricular, registrar
fulfill (A) – fulfil (B) – cumprir, realizar
skilfull (A) – skilful (B) = habilidoso(a)

Palavras e verbos que terminam ou possuem “IZE” no inglês americano e “ISE” no inglês britânico: 

appetizer (A) – appetiser (B) = aperitivo
organize (A) – organise (B) = organizar
realize (A) – realise (B) = perceber

Diferenças de vocabulário: inglês americano e britânico

Alguns nomes de coisas também podem variar, como:

PortuguêsInglês AmericanoInglês Britânico
balascandysweets
banheirobathroomtoilet
borrachaeraserrubber
calçaspantstrouser
centro da cidadedowntowncity centre
elevadorelevatorlift
futebolsoccerfootball
metrôsubwayunderground/ tube
tênissneakerstrainers

Inglês como língua franca

Olha só que interessante: o inglês como língua franca (ILF) é “qualquer uso do inglês entre falantes de diferentes línguas maternas para quem ele é o meio de comunicação escolhido, e frequentemente, a única opção” (SEIDLHOFER, 2011, p.7). 

Também chamado de inglês internacional, ele é o resultado do contato entre os usos da língua, característicos de cada tipo, sem que nenhum deles seja considerado superior ao outro. 

Esse tema é bem bacana e com certeza vamos explorar mais em outros posts! Porém, inserimos ele por aqui para que vocês entendam que não importa a origem, o que importa é se comunicar!

Qual é o melhor: inglês americano ou britânico?

A questão é: não existe um tipo de inglês melhor do que o outro.

O que precisa ser analisado é que, para algumas pessoas, será mais fácil aprender o inglês americano e, para outras, o britânico. Dessa forma, foque em aprender o que você se sentir mais confortável. 

Por outro lado, para nós, que não somos nativos, é importante tentarmos manter um padrão tanto na escrita quanto na pronúncia para se comunicar mais efetivamente

Talvez você não consiga decidir por qual tipo começar apenas com essas informações – e nem deveria. O nosso conselho é: estude também a proposta dos cursos que estão disponíveis no mercado e escolha o que mais combina com você e seus objetivos de aprendizagem. 

Aspectos que devem ser levados em conta quando for escolher um curso de inglês:

  • Presencial ou online;
  • Se o inglês ensinado é global e vai te ajudar a conversar com pessoas de diversas partes do mundo;
  • Aulas particulares ou em grupo; 
  • Tipos de atividades praticadas em sala; 
  • Se possui aulas de conversação;
  • Flexibilidade para os estudos de acordo com a sua rotina; 
  • Quantidade de vezes na semana; entre outros. 

Aqui no Brasil, nós recebemos muitas influências culturais norte-americanas, dessa forma, boa parte das escolas de idioma lecionam o idioma em sua versão americana, como no caso do CNA Go.

E falando nele, o CNA Go é um sistema de ensino e aprendizado de inglês que conta com um aplicativo para os alunos fazerem atividades, interagirem entre si, e praticar conversação com o apoio de professores online. O CNA Go é a evolução do ensino online combinado com o jeito CNA de ensinar. Experimente grátis por 30 dias!

assine cna go

Gostou? Compartilhe!

+ Textos

Conheça o CNA Go!

CNA Go

Posts no Instagram

Siga @CNA Go

Continue lendo:

Como melhorar o inglês com 4 hábitos cotidianos

Como melhorar o inglês com 4 hábitos cotidianos

Se você quer saber como melhorar o inglês, definitivamente esse texto é para você! “Como melhorar o inglês” é algo que todos os estudantes do idioma desejam saber - e não é à toa.  Quando começamos a aprender algo, queremos sempre nos aprimorar e ver logo os...

Como praticar inglês em tempos de pandemia

Como praticar inglês em tempos de pandemia

Se nós te disséssemos que praticar inglês ficou até mais fácil neste período de pandemia, você acreditaria? É isso mesmo! E isso está acontecendo principalmente por um motivo: o aumento no uso da internet e a consequente criação de novos hábitos de consumo digitais....

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *